Um blogue de quem gosta de ler, para quem gosta de ler.

sexta-feira, 27 de outubro de 2017

Resenha: Para Ler Romances Como Um Especialista, de Thomas C. Foster

Resultado de imagem para Para ler romances como um especialistaTítulo original: How To Read Novels Like A Professor
Título em português: Para Ler Romances Como Um Especialista
Autor: Thomas C. Foster
Editora: Lua de Papel
Copyright: 2011
ISBN: 978-85-63066-47-3
Páginas: 286
Bibliografia do autor: Form and Society in Modern Literature, 1988; Seamus Heaney, 1989; Understanding John Fowles, 1994; How to read literature like a professor (Para Ler Literatura Como Um Professor), 2003; How to read novels like a professor (Para Ler Romances Com Um Especialista), 2008; Twenty-five books that shaped America, 2011; Reading the Silver Screen, 2016.

Thomas C. Foster é professor de inglês na Universidade de Michigan, Flint, e também ministra cursos sobre ficção contemporânea, teatro, poesia, escrita criativa e composição. Escreveu diversos livros sobre literatura e poesia, inglesa e irlandesa do século XX, e mora em East Lansing, Michigan.  

Se você gosta muito de ler, mas acha que poderia ler melhor, este é o livro indicado para você. Para Ler Romances Como Um Especialista é e não é um manual. Do manual ele mantém a intenção de instruir o leitor a respeito de como executar alguma coisa. Entretanto, possui um texto muito gostoso de ler, bem humorado. Thomas sabe que, em literatura, conselhos para aproveitar melhor a leitura são sempre bem-vindos, mas não há lugar, neste campo, para “fórmulas consagradas”. Até porque, insiste ele, cada livro ensina ao leitor como deve ser lido.
O leitor já maduro não encontrará muita coisa de novo, que já não tenha intuído. Todavia, acho interessantíssimo um livro em que uma relação ampla de estratégias de leitura de romances esteja reunida e explicada.
Partindo de sua vasta experiência letiva, Foster vai traçando “leis”, como por exemplo:
Lei da Unidade Narrativa: a melhor maneira de organizar um romance é a que faz mais sentido para aquele livro em particular. (...) A única unidade que um romance tem é qualquer uma que o escritor impõe a ele e o leitor descobre.” (página 235)
Ou, então esta, uma das minhas preferidas:
Lei de Nós e Eles: Os leitores escolhem o grau em que se identificam com os personagens. Talvez esta seja a coisa mais milagrosa com relação à leitura, a maneira pela qual podemos ficar cativados pelo familiar quanto pelo estranho.” (página 211)
Esta lei explica, por exemplo, o sucesso do queridinho do momento, John Williams, no seu romance Stoner. Neste romance atípico, nada — absolutamente nada — acontece ao personagem que dá nome à obra. Contraria toda a orientação dada em oficinas de escrita criativa e as fórmulas dos mais estrondosos best-sellers. Prega-se, nestes meios, exatamente o contrário: deve-se dotar o livro de um enredo dinâmico, num texto moderno, ágil. Stoner não é nada disso. Não obstante, é um estrondoso sucesso, após vinte anos de ostracismo.
Este livro vai se juntar a alguns livros sobre leitura/escrita que considero hors concours: Para Ler Como Um Escritor, de Francine Prose; Para Ler Literatura Como Um Professor, do próprio Thomas C. Foster; A Arte da Ficção, de David Lodge; Escrever Com A Alma, de Natalie Goldberg; Oficina de Escritores, de Stephen Koch. Útil também poderá ser a leitura dos três pequenos volumes publicados pela editora L&PM, Viver E Escrever, de Edla Van Steen.
Uma oportuna lista comentada de leituras acompanha o volume de Thomas C. Foster.
Gostei de muitas coisas ditas pelo autor, como por exemplo, a ideia de que todos os livros do mundo formam uma rede de diálogos, desde o Dom Quixote, de Cervantes, o Decamerão, de Boccaccio, o Tristram Shandy, de Lawrence Sterne até a mais recente obra contemporânea.
Ao se esforçar para dotar o leitor de estratégias de compreensão e apreensão dos romances, Foster acaba evidenciando alguma coisa sobre a outra arte, a de escrever. Sim, pois aos esmiuçar certos livros, bases para o que deseja explicar, mostra as estratégias traçadas pelos autores para a orientação dos seus leitores.

Li este Para Ler Romances Como Um Especialista exatamente como um romance: degustando o texto e sistematizando conhecimento já adquirido por estas minhas já extensas andanças literárias. Muito bom. Recomendo.
Postar um comentário